Viagem itinerante na Guiana Francesa

“Uma tal felicidade existe realmente?”

No interior da Guiana Francesa, a uma hora de Saint-Laurent du Maroni, Angéline nos espera na entrada do seu vilarejo. Todos os anos, nossa equipe de Convite à Vida a visita e Angéline se rejubila por nos ouvir cantar na sua igreja, onde todas as semanas ela faz vibrar a voz de seus paroquianos. Este ano Angéline nos espera para harmonizar algumas pessoas idosas do lugar.

Case en Guyane française

Antes de começar, ela nos propõe uma visita relâmpago num pequeno ateliê artesanal de transformação da mandioca em “couac”! Seu filho e três mulheres trabalham ali com dificuldade, embaixo de chapas de ferro enferrujadas, com os pés na lama. Propomos harmonizá-los. Angéline aprova. A questão do local onde as pessoas se alongarão para a harmonização logo é resolvida: uma deita num banco estreito, os outros três no contorno de pedra da grande “platine” do forno de “couac”. Retiramos as sandálias de seus pés cobertos de lama. A cena é surrealista! Sucessivamente Angéline leva os outros três “itinerantes” de Convite à Vida a pequenas casas para harmonizar outros habitantes do vilarejo.

Por último eu harmonizo Angéline. Vinte minutos mais tarde, no fim da harmonização, eu murmuro “Abra os olhos docemente.” Duas lágrimas escorrem dos olhos de Angéline. Uma pequena carícia sobre seu rosto e leio no seu olhar radiante de amor “Existe realmente uma tal felicidade?... Eu tenho direito a isso?” Não foi necessária nenhuma palavra, nossos olhares disseram tudo.

Retomamos a estrada para Saint-Laurent em silêncio. Estou emocionado: uma troca tão profunda, tão forte, com desconhecidos, praticamente sem palavras, é felicidade, nada mais do que pura felicidade...

À noite, em Saint-Laurent, Vanina, uma Guianense que nos convidou para jantar, nos pergunta: “Em que a harmonização modificou suas vidas?” Eu nunca tinha me feito esta pergunta! Primeiro eu penso nas “explicações” sobre harmonia, equilíbrio, regenerar nossas células... Depois me vem ao espírito o momento de felicidade nesse vilarejo. Eu me ouço responder: “A harmonização me revelou minha capacidade de dar mil vezes mais do que jamais eu teria podido imaginar. E é pela harmonização que a expressão “dar é receber” adquiriu sentido para mim.”

Onde, além de Convite à Vida, podemos em alguns minutos realizar um tal gesto de amor, do outro lado do mundo, com um desconhecido? Obrigada por esse privilégio.

Pierre, abril de 2009

 


*O couac é uma sêmola ou farinha fabricada a partir da raiz da mandioca descascada, macerada na água, raspada, apertada e escorrida para eliminar o veneno (ácido cianídrico) que ela contém. Depois disso, esta preparação é cozida sobre uma grande placa chamada platine. Ela é deliciosa acompanhando refeições ou em saladas.

Pour plus de récits, visitez ivi-pelerinage.com