Austrália: jovens brotos sobre a terra queimada

Testemunho de Rosemary sobre os incêndios que devastaram a Austrália.

Éramos nove ao todo, em dois carros para percorrer 100 km de Melbourne a Marysville, o lugar mais atingido pelos fogos no estado de Vitória no verão de 2009. Fazia um frio glacial. Chegando na zona acidentada, eu tive a impressão de me ver num campo de batalha cheio de cadáveres. É a impressão que me davam todos esses troncos de árvores caídos na floresta.

Forêt en Australie ravagée par les incendies

Espantosamente também havia muitas grandes árvores em pé, em toda a sua força. Sua beleza no meio desse desastre era de cortar a respiração. Entre os troncos sobre o solo já surgiam pequenos brotos de folhas de um verde muito terno, contrastando com as cores alaranjadas do outono. E por toda parte viam-se samambaias vibrantes de saúde. Sentia-se ainda o cheiro da fumaça, mas agora ela estava misturada à umidade da chuva.

Percorremos em oração as ruas devastadas de Marysville, onde só permanecia, com freqüência, a porta da entrada com o número da rua. Curiosamente isso não passava tristeza, mas principalmente força do espírito humano e esperança.

Almoçamos numa padaria local ainda intacta.

Depois, na estrada em busca de um lugar para fazer nossa sessão de vibrações, atravessamos superfícies de florestas queimadas e outras ainda milagrosamente intactas, constatando assim o caminho do fogo. Um vento gelado soprava e não havia local propício à vista. Enfim nós localizamos um lugar plano e ideal. Ele já tinha, aparentemente, sido descoberto por 9 cangurus que pareciam nos esperar! Durante as vibrações não sentimos mais frio. Sobre os ramos queimados, pequenos pássaros cantavam, e uma grande águia voou em círculo acima de nós durante toda a sessão. Nós rezamos e vibramos pelo renascimento dessas terras devastadas.

Depois novamente o frio caiu sobre nós e pudemos nos aquecer com uma taça de chocolate quente. O retorno a Melbourne foi alegre e cheio de cantos, seguido de uma revisão de harmonização.

Obrigada a nossos cinco amigos de Melbourne por terem programado tão bem essa peregrinação.

Rosemary, Sydney, maio de 2009